Cinema:   filme  “Don  Juan  de  Marco”,  de  Francis Ford Coppola.

É interessante perceber que alguns filmes não alcançam o sucesso esperado, ainda que sejam belos e comoventes. E a gente, sem entender, fica a se perguntar porquê? Talvez seja o caso do irresistível “Don Juan DeMarco”, de Francis Ford Coppola. Lembram dele? Então, vejamos:

O divertido filme se baseia numa adaptação livre da história de Dom Juan DeMarco. Para tanto, Marlon Brando interpreta o papel de um psiquiatra de Nova York que assume o difícil caso de um paciente que afirma ser Don Juan DeMarco. A partir daí se desenrola uma deliciosa comédia romântica, com direito aos impecáveis desempenhos de Marlon Brando, Faye Dunaway e Johnny Depp.

Em alguns trechos, o filme foi capaz de nos arrebatar com o seu lirismo e a sua fantasia, mas que ainda assim… morreu na praia. Uma pena, isso sim! Porquanto a história era sedutora, o texto era comovente e a condução foi competente. Contudo, ele sofreu duras críticas e não recebeu o merecido reconhecimento…

O que sei dizer, meus amigos, é que até hoje eu guardo na memória afetiva a sequência final do filme. Na voz do “inquieto impostor”, ouvimos a comovente proclamação do paciente ao psiquiatra: “São quatro as questões de valor na vida: o que é sagrado? Do que é feito o espírito? Por que vale a pena viver? Por que vale a pena morrer? A resposta para essas questões é sempre a mesma: amor… só por amor!”