Disco: a beleza incontida do “Nouvelle Cuisine”

Olha, minha gente, já fazia um bom tempo que eu não limpava a estante de discos. É o tal negócio: a gente “finge” que se esquece que é pra ver se a poeira baixa em outras paragens… Mas, enfim, topei o desafio e botei a mão na massa. Ou melhor, na flanela!
Só aí é que eu vi a sandice que cometia, pois acabei me deparando com verdadeiras “pérolas” no meu pequeno acervo, que nem lembrava mais… É bem o caso desse belíssimo grupo “Nouvelle Cuisine”. Meu Deus do Céu, que som vigoroso e elegante essa turma produziu. Uma maravilha! Basta ouvirem a magnífica interpretação deles em “Embraceable You”. O que é aquilo, sô?! E se não bastar, sintam a inebriante atmosfera criada em “My funny Valentine”. É coisa do outro mundo!

Contudo, se ainda assim não se convencerem do que estou falando, então, apelo para o irretocável francês declamado em “Riquixá (Pousse-Pousse)” ou para o arranjo de “Blues in the night”.

A verdade é que o Nouvelle Cuisine foi um desses raros grupos brasileiros que despontou e depois sumiu. Só para nos deixar com a garganta seca. Isto porque, meus amigos, somente agora confesso, eu sempre ouvi este CD acompanhado por uns bons vinhos. Evidentemente, todos eles foram “furtados” da adega do meu velho pai. Torço apenas para que ele não saiba disso. Afinal, sou professor. Mais “liso” do que vidro ensaboado! Mas, o fato é que aquele último “Bourdeaux” deixou saudades, lá, isso sim! Até hoje eu me lembro dele. E “dela”, então, nem é preciso dizer mais nada…

Pois é. Ao menos, restou o disco para me consolar. Enfim, são coisas da vida!

https://www.youtube.com/watch?v=Y25pepRx0Eo

NOUVELLE