Disco “Desafinado” – Coleman Hawkins

Essa vida é mesmo curiosa, meus amigos. Vejam vocês: enquanto estava almoçando, eu assistia ao programa da TV. Nele, havia uma rica discussão sobre o casamento. Eram várias opiniões que se revezavam e, vez por outra, o tema escorregava para outras questões, o que era natural e pertinente. Até que, lá pelas tantas, um dos entrevistados soltou uma frase intrigante: “…quem não sabe de onde veio, nunca vai encontrar o seu destino…” Olha, confesso a vocês que fiquei com aquela frase na cabeça. Por algum motivo, ela encontrou eco nas minhas emoções…
De imediato, eu quis saber a origem dessa frase ou pensamento. Até que descobri que a referida frase é, na verdade, um ditado muito comum nas Filipinas. Segundo consta, o ditado foi criado com forte carga moral e filosófica, com o objetivo de provocar a seguinte reflexão: “sem conhecermos as nossas raízes, não saberemos determinar a nossa missão de vida”. Simples e maravilhoso, não acham?
Pois não é que o disco que trago hoje, como recomendação, é exatamente assim: simples e maravilhoso?! É o CD “Desafinado”, de Coleman Hawkins, gravado em setembro de 1962. Céus… não existe nada mais precioso nessa vida do que ouvir “O pato” tocado pelo harmonioso sax de Coleman. Ele simplesmente consegue derramar toda doçura do mundo nessa magistral composição criada por Jayme Silva e Neuza Teixeira, e que foi imortalizada na voz de João Gilberto. Um verdadeiro espetáculo, isso sim!
Outra canção que Coleman Hawkins nos presenteia é, por certo, um dos mais populares “hits” da bossa-nova: “Desafinado”, de Tom Jobim e Newton Mendonça. E o mais interessante de tudo é que nessa belíssima faixa Coleman Hawkins conseguiu criar um clima igual aos vividos no Beco das Garrafas dos anos 60, na Copacabana majestosa e ainda inocente…
O que sei dizer, minha gente, é que o ditado filipino é procedente à medida que somente quando entendemos as nossas origens é que podemos dar conta dos nossos destinos. E no caso brasileiro, eu acredito que não fosse o chorinho e o samba-canção, jamais teríamos criado a bossa-nova!

Publicado por

Carlos Holbein

Professor de química por formação ou "sina" e escritor por "vocação" ou insistência...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s