Disco: “Things are getting better”, Cannonball Adderley e Milt Jackson.

Existem sons na natureza que parecem nos conduzir ao reino dos céus, tal é a beleza e o arrebatamento. Isto porque algumas melodias possuem a capacidade de nos “transportar” para mares nunca dantes navegáveis, não é assim? E quando isso acontece, ah, que delícia, nós percebemos que o mundo é mesmo perfeito. Nós é que não somos… Paciência!
Mas, ao pensar nisso tudo, eu me lembrei de quando eu, minha esposa e o nosso filho fomos assistir ao lançamento do filme “Blade Runner – 2049”. O filme, minha gente, é sensacional em todos os quesitos: montagem, enredo, desempenho dos atores e, acima de tudo, possui uma soberba trilha sonora. Meus Deus do Céu, o que foi aquilo? A música parecia nos raptar completamente, abduzindo até mesmo o mais renitente espectador. Coisa linda! E olha que eu sou fã de carteirinha de Vangelis, o autor da fantástica trilha sonora do primeiro episódio do “Blade Runner”.
Mas, o que “Blade Runner” tem a ver com Cannonball Adderley, perguntarão os amantes do jazz? Calma aí, minha gente. É que Cannonball Adderley parecia possuir dotes musicais além do seu tempo, porquanto sempre foi adepto ao improviso e o suingue nas canções. Um bom exemplo disso é este CD, “Things Are Getting Better”, gravado em outubro de 1958. Ao seu lado, ninguém melhor do que Milt Jackson, o mestre do vibrafone e, de quebra, Arthur “Art” Blakey na bateria soltando os cachorros…
Faço aqui uma aposta com vocês: ouçam atentamente as melodias deste CD e depois, somente depois me digam em planeta vocês foram parar?
Mas, por favor, digam apenas a verdade!